Plano de leitura bíblica

Plano de leitura bíblica

Por que ler a Bíblia e orar é algo tão importante para cada cristão?

Bem, a resposta mais óbvia e direta é que precisamos cultivar relacionamento com Deus, e estes meios são os mais importantes.

A leitura da Bíblia e a oração nos aproximam de Deus pela ação do Espírito Santo, o qual transforma a direção dos nossos passos ao revelar à nós a vontade de Deus para cada circunstância do dia-a-dia.

Mas há outras razões que precisam ser consideradas: a Bíblia é importantíssima, a única fonte de revelação especial de Deus e é o fundamento confiável em que a nossa fé é edificada.

A oração, por outro lado, é o meio de comunicação com Deus que deve ser praticada pela consciência de que não se pode manipular a vontade do Senhor, mas obedecê-la humildemente pela adoração, contrição, petição e intercessão. Atitudes de quem reconhece a Deus como Senhor e a si mesmo como servo dele.

É fato que muitas vezes ignoramos a importância de uma vida devocional regular. Estamos demasiadamente ocupados com outras necessidades e deixamos passar na rotina um tempo a sós com o Deus de nossas vidas. Lembre-se que ser um cristão inclui representar uma relação sincera e comprometida com Cristo. Para se ter relacionamento com alguém é preciso gastar (ou melhor, investir) tempo com ele. Assim, se você quer crescer no relacionamento com Deus, precisa considerar a importância da devocional bíblica e a oração.

Baixe este plano opcional de leitura, que é um pouco diferente dos convencionais planos anuais de leitura bíblica, mas que proporcionará uma leitura agradável.

plano_de_leitura_anual_alternativo

(Obs: Imprima preferencialmente através do Adobe Reader com as opções de Dimensionamento tipo LIVRETO e páginas frente e verso)

Semeando e Colhendo

Semeando e Colhendo

Li este estudo e achei simples, claro e objetivos. Resolvi compartilhar.

Sempre colhemos o que semeamos; colhemos sempre mais do que semeamos; e colhemos numa época diferente da que semeamos. A quantidade do que colhemos depende da quantidade da semeadura. Isso se aplica à vida tanto quanto se aplica a agricultura. Nossa vida é regida por este princípio.

Mesmo que não estejamos percebendo, estamos semeando todos os dias. A pergunta é: o que estamos semeando? Esta mensagem tem por objetivo nos ajudar a voltarmos para os valores e princípios da Palavra de Deus.

I. A SEMEADURA DO MAL TRARÁ COLHEITA DO MAL.

Muitos têm semeado o que a Bíblia chama semeadura da carne (Gálatas 5.19-21).

  1. Vemos nos resultados de certos pecados
    1. Pecados de luxúria trazem doença para a estrutura do corpo.
    2. Pecados de temperamento têm causado separações de famílias, crimes, guerras, contendas, misérias, etc.
    3. Uso de drogas e álcool, causam dependência, crimes, etc.
    4. Prisão como resultado de seus atos.
  2. Isso vemos pelo desapontamento com o resultado de sua conduta.
    1. Sua malícia lhe consome o coração;
    2. Sua ganância lhe devora a alma;
    3. Sua infidelidade lhe destrói o conforto;
    4. Suas paixões violentas lhes agitam o espírito.

II. A SEMEADURA DO BEM TRARÁ COLHEITA DO BEM

  1. Devemos buscar e pensar nas coisas lá do alto onde Cristo vive (Cl 3.1-2). Quem semeia no Espírito colhe o fruto do Espírito: “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio” (Gl 5.22-23).
  2. A Palavra de Deus semeada pelo discipulador na mente e coração do novo irmão fará com que ele permaneça firme com Jesus.
  3. O controle do temperamento fará com que possamos ter um lar feliz.
  4. O trabalho bem feito resultará em mais clientes e emprego garantido, e muitas vezes, a melhoria de salário.
  5. A dedicação no que Deus entregou em suas mãos resultará em bênçãos.

O que você tem semeado de bom? Não adianta somente “amaldiçoar o mal”, é preciso semear o que é bom! Você tem feito esse trabalho?

(Extraído de Ieadam.)

Consumir X Contribuir

Consumir X Contribuir

No post anterior falamos sobre o princípio dos dízimos. Mas e agora, o que fazemos com os outros 90%?

CONSUMIR X CONTRIBUIR

O que é evangelho consumista ou da prosperidade? É aquele que corre somente atrás das bênçãos, que quer tudo o que pode ver, pede para Deus sempre coisas, coisas – e geralmente para seu bem próprio, para se realizar – ou para mostrar aos outros o que tem.

E o evangelho da graça? É aquele que CONTRIBUI! Senhor, o que posso fazer para Ti? O que devo fazer com o que o Senhor me deu e está me acrescentando?

Precisamos aprender a multiplicar, investindo no Reino de Deus!
Quais são as 3 verdades sobre MULTIPLICAR?

• Eu só posso multiplicar aquilo que me foi DADO, que já tenho

• Para multiplicar eu preciso SEMEAR, investir

• Para multiplicar é preciso “morrer” (renunciar) a mim mesmo, abrindo mão do que tenho – Se o grão de trigo caindo na terra, não morrer, fica ele só, mas se morrer, produz muito fruto. – Jo 12:24

Então, qual é o primeiro passo para multiplicar? SEMEAR! DAR! Para multiplicar é preciso semear!  “Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira
 e multiplicará os frutos da vossa justiça, enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus” – 2 Co 9:10-11

Deus não dá semente para qualquer um, Ele dá para os que SEMEIAM.

Quais são as nossas sementes? Nossos talentos, nossos recursos, nosso salário, nossos filhos, palavras, atitudes…

Deus dá sementes para COMER E SEMEAR – Deus nos dá para o nosso sustento e suficiente para poder semear. Quantas vezes podemos reclamar com Deus: onde está a benção sem medida?  Mas nós comemos todas as sementes, e não semeamos! Quem não semeia, não colhe!

O que é preciso fazer para semear? Para semear eu preciso RENUNCIAR (deixar) de comer as sementes! Não é só questão de dizimar e ofertar! Os fariseus eram avarentos e amavam o dinheiro, mas eram dizimistas! Mas não eram ofertantes e generosos! 
”Se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, jamais entrarão no reino de Deus” – Mateus 5:20
Quais são as 3 leis da SEMEADURA?

1) Colhemos da mesma espécie que semeamos – Princípio universal: Gn 1:11, 22, 24, 25 – se semearmos sementes de laranja, vamos colher laranja! Semeando tempo, colheremos tempo. Semeando talento, colheremos mais talentos. Semeando tesouros, colheremos mais tesouros; parábola das 10 minas. 
Semeamos perdão… misericórdia… justiça…
2) Colhemos muito mais mais do que semeamos – Um grão de milho gera 5 a 6 espigas, 1.000 a 2.000 grãos! Lembrem- se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente. – 2 Co 9:6
3) Colhemos numa estação diferente da que semeamos – Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o 
que o homem semear, isso também colherá. – Gl 6:7. Algumas colheitas são rápidas, outras demoram muitos anos, ou somente na próxima geração

“Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de 
alegria, trazendo os seus feixes” – Sl 126:5-6
Quem entrega, prospera! O Reino de Deus é lugar de multiplicação.

Dar é questão de confiança no Pai – ninguém vence Deus no dar! Deus nos pede coisas para nos provar o quanto Ele é poderoso par dar ainda mais. Ele não quer tirar, ele quer nos dar ainda mais!

A matemática de Deus é diferente: menos é mais, dividir é 
multiplicar. Deus deu a Jesus… ele foi o primeiro a dar tudo… e para nós.

O que eu estou entregando para o Senhor?

Estou cumprindo apenas regras ou fazendo com todo o meu coração?

Tenho medo de entregar as coisas/pessoas para Deus e ficar “sem nada”?

Faça uma experiência, semeie, regue e aguarde a colheita. Com certeza a colheita vai ser abundante!

Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia. Salmos 34:8

Vida Nova em Cristo Honrando

Um diretor regional coloca como meta para seus gerentes um alvo inatingível. A maioria dos gerentes reclama, murmura, dizendo que não vão perder tempo pois não vão conseguir alcançar esse alvo, então não se esforçam tanto.

Mas um gerente, mesmo que não concordando, mesmo que não acreditando, pensa: ele é meu superior, então vou tentar. Esforça-se traçando estratégias, perguntando a este diretor regional o que ele pensa fazer, qual região focar, qual público alvo, etc. No transcorrer do período determinado os problemas são bastantes, e para completar, os outros gerentes começam a acusá-lo, ofendê-lo, desmotivá-lo e até a atrapalhar seu trabalho, já que eles mesmo não vão conseguir e então ninguém mais pode tentar tal façanha.

Chega ao final do período, e este gerente vai apresentar seu resultado ao diretor. O que você acha que ele apresentou? Bem, podemos imaginar duas situações:

1-Alcançou a meta

2-Não alcançou a meta.

Se alcançou a meta, o diretor fica satisfeitíssimo, mas e se não alcançou?

Independente da resposta, uma coisa é clara: Se atingiu o objetivo, ficou com privilégios perante o diretor e ganhou prêmios. Se não alcançou, de qualquer forma ficou com privilégios também, numa primeira oportunidade será promovido. Porque? Por que pelo menos tentou, e o diretor observou isso: obediência, respeito, vestiu a camisa, e até suou esta camisa por uma determinação dada.

Honrar a Deus  é assim mesmo. Nos tempos atuais imaginamos ser inadmissível entregar dízimos,  ofertas e primícias, pois este dinheiro vai fazer falta no orçamento. Mas eu te pergunto ainda: este dinheiro que você NÃO entrega vai resolver o seu problema financeiro? Ah, então se não vai resolver, porque não obedecer aos mandamentos e ter o privilégio de usufruir dos benefícios da obediência: “Deem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem, também será usada para medir vocês” (Lucas 6:38). Você já tem a dificuldade financeira implantada; se não entregar dízimo, continuará na mesma, mas se entregar, corre grande risco de ter uma mudança de destino pela obediência, pois a obediência atrai benção.

Faça um desafio com Deus, proponha em seu coração durante três meses entregar dízimos e ofertas com um coração alegre, confiante e fiel. Se sua vida financeira não muda, então não entregue mesmo. Mas veja todos os detalhes neste período; não quer dizer que vai ganhar mais dinheiro, ficar rico de uma hora pra outra. Não, mas um milagre acontece: roupa não estraga, equipamentos duram, não gasta dinheiro com remédios, fatura mais, a despensa se multiplica, promoções surgem. Isto é traduzido como PROSPERIDADE! Eu já experimentei isto e sei que é real.

A Bíblia promete:

  • Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova”, diz o Senhor dos Exércitos, e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las. Malaquias 3:10.
  • O povo alegrou-se diante da atitude de seus líderes, pois fizeram essas ofertas voluntariamente e de coração íntegro ao Senhor. E o rei Davi também encheu-se de alegria. 1 Crônicas29:9
  • Aleluia! Como é feliz o homem que teme o Senhor e tem grande prazer em seus mandamentos! Salmos 112:1
  • Eu me regozijo na tua promessa como alguém que encontra grandes despojos. Salmos 119:162
  • Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho. Provérbios 3:9,10

Então, experimente uma vida nova em Cristo com prosperidade financeira, emocional, familiar e espiritual. Jesus te ama!