Plano de leitura bíblica

Plano de leitura bíblica

Por que ler a Bíblia e orar é algo tão importante para cada cristão?

Bem, a resposta mais óbvia e direta é que precisamos cultivar relacionamento com Deus, e estes meios são os mais importantes.

A leitura da Bíblia e a oração nos aproximam de Deus pela ação do Espírito Santo, o qual transforma a direção dos nossos passos ao revelar à nós a vontade de Deus para cada circunstância do dia-a-dia.

Mas há outras razões que precisam ser consideradas: a Bíblia é importantíssima, a única fonte de revelação especial de Deus e é o fundamento confiável em que a nossa fé é edificada.

A oração, por outro lado, é o meio de comunicação com Deus que deve ser praticada pela consciência de que não se pode manipular a vontade do Senhor, mas obedecê-la humildemente pela adoração, contrição, petição e intercessão. Atitudes de quem reconhece a Deus como Senhor e a si mesmo como servo dele.

É fato que muitas vezes ignoramos a importância de uma vida devocional regular. Estamos demasiadamente ocupados com outras necessidades e deixamos passar na rotina um tempo a sós com o Deus de nossas vidas. Lembre-se que ser um cristão inclui representar uma relação sincera e comprometida com Cristo. Para se ter relacionamento com alguém é preciso gastar (ou melhor, investir) tempo com ele. Assim, se você quer crescer no relacionamento com Deus, precisa considerar a importância da devocional bíblica e a oração.

Baixe este plano opcional de leitura, que é um pouco diferente dos convencionais planos anuais de leitura bíblica, mas que proporcionará uma leitura agradável.

plano_de_leitura_anual_alternativo

(Obs: Imprima preferencialmente através do Adobe Reader com as opções de Dimensionamento tipo LIVRETO e páginas frente e verso)

Anúncios

Semeando e Colhendo

Semeando e Colhendo

Li este estudo e achei simples, claro e objetivos. Resolvi compartilhar.

Sempre colhemos o que semeamos; colhemos sempre mais do que semeamos; e colhemos numa época diferente da que semeamos. A quantidade do que colhemos depende da quantidade da semeadura. Isso se aplica à vida tanto quanto se aplica a agricultura. Nossa vida é regida por este princípio.

Mesmo que não estejamos percebendo, estamos semeando todos os dias. A pergunta é: o que estamos semeando? Esta mensagem tem por objetivo nos ajudar a voltarmos para os valores e princípios da Palavra de Deus.

I. A SEMEADURA DO MAL TRARÁ COLHEITA DO MAL.

Muitos têm semeado o que a Bíblia chama semeadura da carne (Gálatas 5.19-21).

  1. Vemos nos resultados de certos pecados
    1. Pecados de luxúria trazem doença para a estrutura do corpo.
    2. Pecados de temperamento têm causado separações de famílias, crimes, guerras, contendas, misérias, etc.
    3. Uso de drogas e álcool, causam dependência, crimes, etc.
    4. Prisão como resultado de seus atos.
  2. Isso vemos pelo desapontamento com o resultado de sua conduta.
    1. Sua malícia lhe consome o coração;
    2. Sua ganância lhe devora a alma;
    3. Sua infidelidade lhe destrói o conforto;
    4. Suas paixões violentas lhes agitam o espírito.

II. A SEMEADURA DO BEM TRARÁ COLHEITA DO BEM

  1. Devemos buscar e pensar nas coisas lá do alto onde Cristo vive (Cl 3.1-2). Quem semeia no Espírito colhe o fruto do Espírito: “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio” (Gl 5.22-23).
  2. A Palavra de Deus semeada pelo discipulador na mente e coração do novo irmão fará com que ele permaneça firme com Jesus.
  3. O controle do temperamento fará com que possamos ter um lar feliz.
  4. O trabalho bem feito resultará em mais clientes e emprego garantido, e muitas vezes, a melhoria de salário.
  5. A dedicação no que Deus entregou em suas mãos resultará em bênçãos.

O que você tem semeado de bom? Não adianta somente “amaldiçoar o mal”, é preciso semear o que é bom! Você tem feito esse trabalho?

(Extraído de Ieadam.)

Consumir X Contribuir

Consumir X Contribuir

No post anterior falamos sobre o princípio dos dízimos. Mas e agora, o que fazemos com os outros 90%?

CONSUMIR X CONTRIBUIR

O que é evangelho consumista ou da prosperidade? É aquele que corre somente atrás das bênçãos, que quer tudo o que pode ver, pede para Deus sempre coisas, coisas – e geralmente para seu bem próprio, para se realizar – ou para mostrar aos outros o que tem.

E o evangelho da graça? É aquele que CONTRIBUI! Senhor, o que posso fazer para Ti? O que devo fazer com o que o Senhor me deu e está me acrescentando?

Precisamos aprender a multiplicar, investindo no Reino de Deus!
Quais são as 3 verdades sobre MULTIPLICAR?

• Eu só posso multiplicar aquilo que me foi DADO, que já tenho

• Para multiplicar eu preciso SEMEAR, investir

• Para multiplicar é preciso “morrer” (renunciar) a mim mesmo, abrindo mão do que tenho – Se o grão de trigo caindo na terra, não morrer, fica ele só, mas se morrer, produz muito fruto. – Jo 12:24

Então, qual é o primeiro passo para multiplicar? SEMEAR! DAR! Para multiplicar é preciso semear!  “Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira
 e multiplicará os frutos da vossa justiça, enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus” – 2 Co 9:10-11

Deus não dá semente para qualquer um, Ele dá para os que SEMEIAM.

Quais são as nossas sementes? Nossos talentos, nossos recursos, nosso salário, nossos filhos, palavras, atitudes…

Deus dá sementes para COMER E SEMEAR – Deus nos dá para o nosso sustento e suficiente para poder semear. Quantas vezes podemos reclamar com Deus: onde está a benção sem medida?  Mas nós comemos todas as sementes, e não semeamos! Quem não semeia, não colhe!

O que é preciso fazer para semear? Para semear eu preciso RENUNCIAR (deixar) de comer as sementes! Não é só questão de dizimar e ofertar! Os fariseus eram avarentos e amavam o dinheiro, mas eram dizimistas! Mas não eram ofertantes e generosos! 
”Se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, jamais entrarão no reino de Deus” – Mateus 5:20
Quais são as 3 leis da SEMEADURA?

1) Colhemos da mesma espécie que semeamos – Princípio universal: Gn 1:11, 22, 24, 25 – se semearmos sementes de laranja, vamos colher laranja! Semeando tempo, colheremos tempo. Semeando talento, colheremos mais talentos. Semeando tesouros, colheremos mais tesouros; parábola das 10 minas. 
Semeamos perdão… misericórdia… justiça…
2) Colhemos muito mais mais do que semeamos – Um grão de milho gera 5 a 6 espigas, 1.000 a 2.000 grãos! Lembrem- se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente. – 2 Co 9:6
3) Colhemos numa estação diferente da que semeamos – Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o 
que o homem semear, isso também colherá. – Gl 6:7. Algumas colheitas são rápidas, outras demoram muitos anos, ou somente na próxima geração

“Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de 
alegria, trazendo os seus feixes” – Sl 126:5-6
Quem entrega, prospera! O Reino de Deus é lugar de multiplicação.

Dar é questão de confiança no Pai – ninguém vence Deus no dar! Deus nos pede coisas para nos provar o quanto Ele é poderoso par dar ainda mais. Ele não quer tirar, ele quer nos dar ainda mais!

A matemática de Deus é diferente: menos é mais, dividir é 
multiplicar. Deus deu a Jesus… ele foi o primeiro a dar tudo… e para nós.

O que eu estou entregando para o Senhor?

Estou cumprindo apenas regras ou fazendo com todo o meu coração?

Tenho medo de entregar as coisas/pessoas para Deus e ficar “sem nada”?

Faça uma experiência, semeie, regue e aguarde a colheita. Com certeza a colheita vai ser abundante!

Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia. Salmos 34:8

Vida Nova em Cristo Honrando

Um diretor regional coloca como meta para seus gerentes um alvo inatingível. A maioria dos gerentes reclama, murmura, dizendo que não vão perder tempo pois não vão conseguir alcançar esse alvo, então não se esforçam tanto.

Mas um gerente, mesmo que não concordando, mesmo que não acreditando, pensa: ele é meu superior, então vou tentar. Esforça-se traçando estratégias, perguntando a este diretor regional o que ele pensa fazer, qual região focar, qual público alvo, etc. No transcorrer do período determinado os problemas são bastantes, e para completar, os outros gerentes começam a acusá-lo, ofendê-lo, desmotivá-lo e até a atrapalhar seu trabalho, já que eles mesmo não vão conseguir e então ninguém mais pode tentar tal façanha.

Chega ao final do período, e este gerente vai apresentar seu resultado ao diretor. O que você acha que ele apresentou? Bem, podemos imaginar duas situações:

1-Alcançou a meta

2-Não alcançou a meta.

Se alcançou a meta, o diretor fica satisfeitíssimo, mas e se não alcançou?

Independente da resposta, uma coisa é clara: Se atingiu o objetivo, ficou com privilégios perante o diretor e ganhou prêmios. Se não alcançou, de qualquer forma ficou com privilégios também, numa primeira oportunidade será promovido. Porque? Por que pelo menos tentou, e o diretor observou isso: obediência, respeito, vestiu a camisa, e até suou esta camisa por uma determinação dada.

Honrar a Deus  é assim mesmo. Nos tempos atuais imaginamos ser inadmissível entregar dízimos,  ofertas e primícias, pois este dinheiro vai fazer falta no orçamento. Mas eu te pergunto ainda: este dinheiro que você NÃO entrega vai resolver o seu problema financeiro? Ah, então se não vai resolver, porque não obedecer aos mandamentos e ter o privilégio de usufruir dos benefícios da obediência: “Deem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem, também será usada para medir vocês” (Lucas 6:38). Você já tem a dificuldade financeira implantada; se não entregar dízimo, continuará na mesma, mas se entregar, corre grande risco de ter uma mudança de destino pela obediência, pois a obediência atrai benção.

Faça um desafio com Deus, proponha em seu coração durante três meses entregar dízimos e ofertas com um coração alegre, confiante e fiel. Se sua vida financeira não muda, então não entregue mesmo. Mas veja todos os detalhes neste período; não quer dizer que vai ganhar mais dinheiro, ficar rico de uma hora pra outra. Não, mas um milagre acontece: roupa não estraga, equipamentos duram, não gasta dinheiro com remédios, fatura mais, a despensa se multiplica, promoções surgem. Isto é traduzido como PROSPERIDADE! Eu já experimentei isto e sei que é real.

A Bíblia promete:

  • Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova”, diz o Senhor dos Exércitos, e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las. Malaquias 3:10.
  • O povo alegrou-se diante da atitude de seus líderes, pois fizeram essas ofertas voluntariamente e de coração íntegro ao Senhor. E o rei Davi também encheu-se de alegria. 1 Crônicas29:9
  • Aleluia! Como é feliz o homem que teme o Senhor e tem grande prazer em seus mandamentos! Salmos 112:1
  • Eu me regozijo na tua promessa como alguém que encontra grandes despojos. Salmos 119:162
  • Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho. Provérbios 3:9,10

Então, experimente uma vida nova em Cristo com prosperidade financeira, emocional, familiar e espiritual. Jesus te ama!

 

 

Pronunciamento e Conclamação – 70 Dias de Arrepedimento

 

CONSELHO APOSTÓLICO BRASILEIRO
PRONUNCIAMENTO E CONCLAMAÇÃO
MEMBROS DO CONSELHO APOSTÓLICO

Valnice Milhomens (Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo), Jesher Cardoso (Missão Shekinah), Arles Marques (Comunhão Cristã Igreja Apostólica), Mike Shea (Ministério Casa de Davi), Sinomar Fernandes(Ministério Luz para os Povos), Márcio Valadão (Igreja Batista da Lagoinha),Neuza Itioka (Ministério Ágape Reconciliação), Paulo Tércio (Igreja Apostólica Novidade de Vida), Dawidh Alves (Ministério Tabernáculos),Alexandre Nunes (Igreja Apostólica Ágape de Ubatuba), Francisco Nicolau(Igreja Batista das Nações), Ebenézer Nunes (Igreja Apostólica Batista Viva),Hudson Medeiros (Rede Brasileira de Intercessão, Oração e Jejum), Luiz Scultori (Ministério Apostólico Terra Santa), Paulo de Tarso (Igreja Apostólica Betlehem).

Os membros do CONSELHO APOSTÓLICO BRASILEIRO reuniram-se nos dias 22e 23 de agosto de 2011, para buscar direção de Deus e discernir os tempos em que vivemos. Este documento, gerado a partir desta reunião, registra as impressões dos membros e, pela sua importância para o momento, será compartilhado com a IGREJA DE JESUS CRISTO NO BRASIL.

Olhando para os atuais eventos relacionados a Israel e ao Oriente Médio, as crises economicas mundiais, os fenômenos nos céus e na natureza, identificamos cada um deles como sinais Biblicos que apontam para a proximidade do regresso de Cristo.

Cremos que a Noiva do Cordeiro precisa estar pronta para esta hora e que sua santificação, proclamação do verdadeiro Evangelho, atos de justiça e adoração ao Único Deus Vivo, precisam ser manifestos.

Relembramos aqui as palavras proféticas sobre a nação, proferidas por profetas nacionais e internacionais, em diversas ocasiões, que apontavam para o destino profético do Brasil.

PALAVRAS PROFÉTICAS SOBRE O BRASIL

• Teremos um derramar do Espírito Santo, comparado a “Pentecostes”, que trará limpeza e transformação na “Casa de Deus”.
• Surgirá uma cooperação entre os governantes e os sacerdotes, com objetivo de estabelecer justica social e pastoral, em toda nação;
• Teremos uma economia forte, que vai transformar o pais em celeiro de alimento para as nações;
• Seremos um celeiro de missionários para o mundo.
• Seremos uma “Plataforma Continental de Adoração”;
• Seremos um canal de benção, influência, unidade continental e referencial para outras nações;
• Viveremos a maior transformação da nossa sociedade em todas as áreas: Igreja, governo, educação, economia, artes, justica social, etc;
• Seremos chamados de “YHWH SHAMAH” – O Eterno está aqui”;
• O Eterno ama a nação brasileira e deseja transformá-la em nação santa, reino de sacerdotes e propriedade exclusiva do Senhor.
• Seremos uma nação que volta para Deus e honra a Sua Aliança;
• O Brasil ou (braseiro), receberá o sopro de Deus e as chamas se espalharão pelas nações que transportaram o Pau Brasil, ou (pau em brasa), como um caminho de pólvora devorado pelo fogo do Espirito;

Crescimento do Evangelho em nosso país

Constatamos os grandes avanços ocorridos no Brasil pela aproximação do Reino de Deus. Nos últimos 50 anos pudemos observar como a igreja no Brasil cresceu em número e em influência na sociedade. Milhões de conversões são estatisticamente comprovadas. Ha uma grande multiplicação de congregações e uma explosão de trabalhos em pequenos grupos (células, grupos familiares, etc.), promovendo um crescimento maravilhoso de “filhos de Deus”.

♦ A igreja cresce no Espírito a cada dia. Embora muitos erros e distorções tenham sido cometidos, verdadeiros apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres tem sido levantados pelo Espirito Santo, para os fins designados por Cristo para a Igreja.
♦ O Espírito Santo constrange toda a igreja a avaliar suas posturas, diante da Palavra de Deus, para se alinhar com os padrões Divinos, deixando assim o erro e o engano.
♦ Cresce na igreja uma preocupação com questões de justica social e com o cuidado dos necessitados de nossas cidades e nação.
♦ Cresce o envolvimento da igreja na vida política. Com muitos representantes eleitos para cargos Legislativos e até Executivos.
♦ Há um acesso da Igreja de Cristo aos Meios de Comunicação, permitindo que o Evangelho seja pregado e o padrão de vida cristã possa ser compartilhado com milhões e milhões de pessoas.
♦ Testemunhos dão prova das bençãos e milagres alcançados por nosso povo e por nossa nação frutos de uma Intercessão gerada pelo Espirito de Deus.
♦ Em especial, no meio dos jovens, o Evangelho tem alcançado grande desenvoltura e se popularizado

Há muito, porém, para nos arrependermos

Embora a igreja brasileira tenha avançado, reconhecemos, à Luz das Escrituras, situações que nos levam a conclamar a Igreja a um tempo de reflexão, arrependimento, e mudança dos seus caminhos. Nossos corações se enchem de temor, pois, a palavra do Eterno nos ensina que Sua graça e misericórdia podem ser manifestadas através de severa disciplina, como no momento de juízo de Ananias e Safira, nos primeiros dias da igreja primitiva.

Um profundo arrependimento pode vir através do Juízo de Deus, mas, através de todos os profetas, O Nosso Deus, nos chama para voluntariamente buscarmos a Face do Deus de Jacó, para purificarmos nossas mãos e o nosso coração, afim de termos acesso ao Monte Santo do Eterno.

70 DIAS DE ARREPENDIMENTO

Impelidos pelo Espírito de Deus, conclamamos TODA A IGREJA DE JESUS CRISTO NA NAÇÃO BRASILEIRA, a SETENTA DIAS DE ARREPENDIMENTO, desde 7 de setembro ate 15 de novembro deste ano, com orações, jejuns, santas convocações, vigílias, encontros de adoração ao Deus Vivo e a unção de nossa nação, reconsagrando-a a Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Cremos que o Espírito Santo tem preparado a igreja para este momento.

Recebemos uma direção de Deus para ungir nossa nação, coisa que ja foi feita no passado recente, dentro do projeto “Unção América”. Percebemos, no entanto, que uma resistência espiritual se manifestou para impedir o processo de conquista da nação, tentando paralisar ou neutralizar o Plano de Salvação do nosso Deus.

Neste projeto, ungimos os pontos cardeais mais extremos de nossa nação, e todo o nosso vasto litoral, mas, agora entendemos que devemos tocar todos os estados do Brasil, e se O Eterno nos permitir todos os municípios brasileiros, com este desafio por um VERDADEIRO ARREPENDIMENTO e com o SELO DA UNÇÃO.

Nosso pedido as lideranças cristãs de nossa nação

Reconhecendo que baixo a Autoridade de Cristo, O Cabeça da Igreja, há inúmeros ministérios e lideranças dentro das suas estruturas eclesiásticas e esferas de influência, as quais respeitamos, humildemente, como conservos, pedimos que esta conclamação possa ser retransmitida e amplificada.
Nossa motivação e o amor pelo Nosso Deus e por Seu Reino Eterno, e pela Igreja de Cristo, da qual somos membros.

Temos (todos nós) motivos suficientes para nos humilhar diante do Senhor e clamar Sua misericórdia.

” Porque o SENHOR repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem.” (Pv 3.12)

Que ação refinadora do Espírito Santo comece em nossos próprios ministérios.Oramos para que o Espirito Santo testifique Sua palavra e de direção de tudo que Ele quer fazer para santificar e capacitar a Sua Igreja nesta hora.

Aos pés de Cristo,

Conselho Apostólico Brasileiro

————–

MOTIVOS DE ARREPENDIMENTO

Envergonhemo-nos diante do Eterno e nos arrependamos:

• Pela comercialização da Adoração, e pela decadência de adoradores que se transvestem como artistas midiáticos;
• Pela massificação do evangelho, não obstante a multiforme sabedoria de Deus para cada cristão, congregação e região de nossa nação;
• Pelo endeusamento de líderes cristãos e a idolatria, muitas vezes incentivada pelos próprios líderes;
• Pela banalização do ministério profético, num distanciamento do Ministerio profético de Cristo e a vulgarização de atos proféticos, sem a direção do Espírito Santo;
• Pelo desejo de que a sociedade brasileira nos veja como pessoas normais e simpaticas ao povo, nos afastamos de um padrão celestial para a vida familiar,social, empresarial, comercial, da sociedade;
• Pela falta de respeito a autoridade de Cristo na vida dos Ungidos de Deus e pela exacerbação e abuso da autoridade dos ministros que deixam de ser exemplos do rebanho para tornarem-se dominadores daqueles que lhes foram confiados;
• Pela comercialização da paternidade e das coberturas ministeriais, e pelo plano de escalada ministerial, através de resultados humanos, numéricos e financeiros;
• Pela constante prática de motivar as pessoas a darem mais dinheiro, com promessas vazias e técnicas de convencimento, no lugar de ensiná-las sobre obediencia, liberalidade e Justiça;
• Pelo mau uso dos recursos consagrados a Deus, para beneficios pessoais ou corporativos distantes da Proclamação do Evangelho e do estabelecimento do Reino de Deus.
• Pela prática da mentira, constatada através de testemunhos superestimados, ou de omissão de detalhes que mostrariam a fraqueza do homem e a misericórdia de Deus;
• Pela tolerância com os divórcios não provocados por adultérios, coisa que Deus odeia, e pela facilidade em se abençoar para novos matrimônios pessoas que destruiram suas famílias, não obstante conhecerem a Palavra de Deus. Até ministros que tem deixado a mulher de sua mocidade para juntar-se a outra, não obstante a Presença de Deus em sua aliança.
• Por movimentos simpáticos a pratica do homossexualismo dentro da Igreja de Cristo e até igrejas que abençoam tais relacionamentos e ordenam ao Ministério pessoas na prática deste tipo de pecado;
• Pelos constantes escandalos sexuais que se tornaram comuns e são acobertados por uma liderança conivente com o problema, que não cura o ferido e nem confronta o pecado;
• Pela onda de judaismo rabínico (travestido de “messiânico”), negando a divindade de Jesus e também a veracidade das Escrituras Sagradas, dos Evangelhos e das Cartas Apostólicas, e que tem se infiltrado na Igreja de Cristo, absolutamente longe dos princípios da Biblia Sagrada, superestimando objetos de Culto, que se tornam amuletos e ídolos para gente simples;
• Pelo escandaloso crescimento do envolvimento dos cristãos com a Maçonaria (desde importantes lideranças nacionais) e com os deuses do Egito que os nossos pais jamais conheceram.
• Pela idolatria e sincretismo religioso em nosso pais, que cada dia mais atrai cristãos nominais para um ecumenismo a exemplo do que ocorreu com Israel, antes da dispersão.

Sugerimos a leitura das cartas de Paulo aos Gálatas, aos Colossenses e as cartas de Jesus, através de João, às sete Igrejas da Ásia, e também para nós, Corpo de Cristo, em nossa geração.

Também pedimos que todos sigam O Espírito Santo para orarem clamando a Deus por arrependimento por tantas outras situações que podem ser trazidas pelo Senhor, bem como pelos pecados que como nação temos cometido contra O Nosso Deus e sua Palavra, que são quase inumeráveis.

” e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” (Hb 12.14)

ORIENTAÇÕES SOBRE ATOS DE ARREPENDIMENTO E UNÇÃO, E ATOS DE JUSTIÇA

♦ Encontros municipais de “Santa convocação”
Estes seriam momentos para a igreja se reunir para adorar ao Senhor, confessar qualquer pecado, e clamar pela ministração do Espírito Santo sobre sua cidade.

♦ Marchas de intercessão por conversões e pela manifestação do Reino de Deus em nossos bairros e cidades.

♦ Intercessão em lugares públicos
Praças centrais, “Marco Zero” de municipios, Pontos cardeais de municípios e estados, Prédios dos poderes executivo, legislativo e judiciário, municipais, estaduais e federais, hospitais e universidades.

♦ Intercessão em locais de decadência conhecida
Lugares conhecidos pela miséria, violência, prostituição, tráfico de drogas.

♦ Períodos de intercessão e adoração
Muitos conhecem essa prática como “vigília”, outros como “turnos de adoração”, e outros como “Harpas e Taças”. Esses períodos podem ser marcados também em lugares estratégicos como praças públicas, firmas, escolas, clubes e todos os lugares onde queremos ver A Manifestação do reino de Deus.

ATOS PROFÉTICOS

Cremos que o Espírito Santo tem falado sobre atos proféticos a serem realizados pela Igreja. Queremos encorajar a todos a seguirem a direção do Espírito Santo e da Palavra de Deus, com testificação de suas lideranças espirituais e em humildade. Lembramos que esses devem ser efetuados rigorosamente com temor, com oração, e com obediência ao Espírito Santo.

UNÇÃO DO BRASIL

Entendemos pelo Espírito Santo sobre INVOCARMOS A JESUS CRISTO E O SEU REINO e UNGIRMOS nossa nação procurando tocar todos os Estados em suas capitais, e quem sabe num esforço coletivo para alcançarmos os mais de CINCO MIL municípios, dentro deste período de 70 dias, reconsagrando nossa nação e confirmando-a como propriedade do Senhor Jesus Cristo, de forma plena e irrevogável.

Sugerimos para este momento de Unção:

1. Que a unção seja efetuada por líderes maduros e responsáveis, que recebam do Senhor direção clara para seu envolvimento nesse projeto, e saibam como ungir sua cidade, estado ou região;
2. Que sejam ungidas pelo menos nossas capitais. A unção pode ser feita nos pontos cardeais ou no marco zero de cada localidade;
3. Que nenhuma unção seja feita de forma isolada, mas que se formem equipes para cada ação e que todas elas sejam relatadas ao CAB;
4. Que as unções nunca sejam desassociadas de períodos de arrependimento e confissões de pecados, turnos de adoração e intercessão;
5. Que se priorize ações que não chamem atenção, que tudo seja feito com discrição e sabedoria e sejam reconhecidos, apenas no mundo espiritual.
6. Que em cada cidade alcançada, as igrejas locais, membros da Igreja de Cristona quela localidade possam ser comunicadas deste desafio e se possível motivadas a participarem da Unção e do Arrependimento proposto.

JUSTIÇA (TSEDAKA)

Entendemos que o Arrependimento verdadeiro deve ser manifestado através de frutos dignos de arrependimento, e motivamos que a Igreja de Cristo, em todas as localidades de nosso país, para que se movam na causa dos pobres, órfãos, viuvas e desamparados de todos os tipos nas nossas cidades. Há uma pungente expectativa principalmente dos nossos jovens, de o que fazer depois de nos arrependermos e nos quebrantarmos diante de Deus, e a resposta é: Vamos manifestar O Amor do Nosso Deus e de Jesus Cristo, através dos nossos atos de Justiça para com os menos favorecidos da nossa nação.

” Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhe a glória; porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e ja a sua noiva se preparou, e foi-lhe permitido vestir-se de linho fino, resplandecente e puro; pois o linho fino são os atos de Justiça dos santos”. (Ap. 19.7-8)

Desejamos exortar a igreja a participar dos “Atos de Justiça” que enfeitam, ataviam, a noiva de Cristo neste momento.

– Atendimento aos menos favorecidos: pobres, orfãos e viúvas;
– Atendimento aos marginalizados da sociedade;
– Atenção a família biblica e sua edificação conforme os padrões biblicos;
– Buscar ministrar as “obras de Jesus” de cura, libertação e pregação do arrependimento das obras mortas e da Fé em Deus;
– Multiplicar a intercessão e adoração como sacerdotes do Senhor no nosso país.

Por Arles Marques – Secretário Geral.

Fonte: Ministério Tabernáculos.

Calamidade!

Recebi do Ap. Jorcimar Patrício, que recebeu do Ap. Arcélio Luis:

CARTA ABERTA AOS IRMÃOS E AMIGOS

“Calamidade” é uma palavra pequena para descrever as cenas de
horror que estão a nossa volta. Aliás, não existe palavra no português
que possam descrever de maneira precisa os fatos.

Ver corpos de crianças boiando na água, passando na sua frente
sem nada poder fazer. Ver corpos de crianças sem vida agarrados em
galhos de árvores, ver uma ovelha nova convertida sepultar dezesseis
pessoas de sua família num nó dia (coisa que deixaria Jó
impressionado).

Ver um novo convertido que perdeu toda a família e só ele
escapou perguntando… “Por quê?” (sabendo que não sabemos, e não
temos forças nem “tolice” suficiente pra especular). Ver pessoas
sepultarem seus mortos lá no bairro, porque o estado de putrefação é
avançado. Andar ali e sentir o cheiro da morte….ver empresários que
perderam tudo ficando com 5 reais no bolso e nada mais. Ver o grito de quem acaba de reconhecer no meio da lama
que “aquilo” que está ali é seu pai, sua mãe, seu marido, sua esposa
ou …… seu filho!

Ver nos olhos de quem você ama a dor misturada com a angústia
das informações que não chegam, se dessem conta (em muitos lugares,
até esse momento, ainda não chegou nenhum socorro). Ver o local onde a
pouco tempo atrás cantávamos no evento do “Fruto Fiel” com seis mil
pessoas (Ginásio do Pedrão- veja fotos da colheita onde 200 se
converteram no site http://www.colheita12.com.br), agora repleto de
colchonetes e pessoas chorando!

Sim… eu digo que isso não é calamidade! Isso é alguma
coisa, a cerca da qual não tenho definição. Mas estou aqui socorrendo,
chorando, ajudando, chorando, dando força, chorando, levando
esperança, chorando, ajudando a sorrir, chorando, entrando na lama
chorando, arrecadando água e coisas básicas, chorando, crendo e
chorando!

O clima de tristeza em Teresópolis, Friburgo, Petrópolis,
Silva Jardim, Areal, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto é
absurdo! Mas Vamos nos levantar e reedificar a cidade, começando pela
reconstrução da Fé, da Esperança e do Ânimo desse povo.

O Centro de Teresópolis não foi atingido (diferente de
Friburgo). Quem anda por aqui vê tristeza, helicópteros sobrevoando,
carros em alta velocidade.

Mas a vida continua, porém no interior e em 19 bairros parece que o
mundo acabou. Alguns Bairros foram totalmente cobertos pela lama e
pedras gigantes. Eles foram varridos do mapa, sobrando apenas alguns
poucos que escaparam.

Você meu amigo pode nos ajudar, eu preciso de você! Meu povo
precisa de você! Nossas cidades foram devastadas! Precisamos de água,
de medicamentos, produtos de higiene pessoal, fraldas descartáveis e
ofertas em dinheiro, conforme orientação em nosso site www.colheita12.com.br

Existe também a conta da prefeitura, que foi divulgada em todos os
meios de comunicação, pela chamada “grande mídia”.

Temos um programa de TV na Band, às sete da manhã aos
domingos. Por favor, assista se você está no Estado do Rio de Janeiro,
cidades do interior, pois mostraremos e falaremos desde Teresópolis.

Continuamos na Igreja com o culto, orando e buscando a Deus
com quem aparece e muitos tem vindo. TODA oferta levantada ali e a
oferta da igreja estão destinadas a ajudar os necessitados.
Primeiramente os que são ligados à igreja, os da família da fé, e a
todos os demais que são nossos irmãos em Teresópolis.

Ontem pela manhã o Prefeito de Teresópolis, Dr. Jorge Mario
(Que é crente e membro de nossa igreja) me ligou para pedir oração
mais uma vez.

Eu fui ao seu encontro e na Prefeitura oramos pelos prefeitos de
Friburgo e de Petrópolis, que com ele formaram um consórcio entre os
três municípios, a fim de conseguirem ajuda mais rápida e mais eficaz
para as cidades atingidas.

Deus me deu uma Palavra para eles:

“Dir-se-á: Esta terra desolada ficou como o jardim do Éden; as cidades
desertas, desoladas e em ruínas estão fortificadas e habitadas.

Então, as nações que tiverem restado ao redor de vós saberão que eu, o
SENHOR, reedifiquei as cidades destruídas e replantei o que estava
abandonado. Eu, o SENHOR, o disse e o farei”.

Ezequiel 36.35-36

Shalom, Nele!

em quem creio de modo total e irrestrito, contudo e apesar de tudo.

Ap. Arcélio Luis

Ministério Colheita Internacional – Teresópolis –RJ

WWW.colheita.com.br